Visita-nos na nossa página do Facebook

Bonecos de Neve!

Click to play this Smilebox slideshow
Create your own slideshow - Powered by Smilebox
This free picture slideshow made with Smilebox

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A ORIGEM DO PÃO POR DEUS


Pão-por-Deus (WIKIPÉDIA)
Em Portugal, no dia de Todos-os-Santos as crianças saem à rua e juntam-se em pequenos bandos para pedir o pão-por-deus de porta em porta. As crianças quando pedem o pão-por-deus recitam versos e recebem como oferenda: pão, broas, bolos, romãs e frutos secos, nozes, amêndoas ou castanhas, que colocam dentro dos seus sacos de pano. É também costume em algumas regiões os padrinhos oferecerem um bolo, o Santoro. Em algumas povoações chama-se a este dia o ‘Dia dos Bolinhos’.
Esta tradição teve origem em Lisboa em 1756 (1 ano depois do terramoto que destruiu Lisboa). Em 1 de Novembro de 1755 ocorreu o terramoto que destruiu Lisboa, no qual morreram milhares de pessoas e a população da cidade, que era na sua maioria pobre, ainda mais pobre ficou.
Como a data do terramoto coincidiu com uma data com significado religioso (1 de Novembro), de forma espontânea, no dia em que se cumpria o primeiro aniversário do terramoto, a população aproveitou a solenidade do dia para desencadear, por toda a cidade, um peditório, com a intenção de minorar a situação paupérrima em que ficaram.
As pessoas, percorriam a cidade, batiam às portas e pediam que lhes fosse dada qualquer esmola, mesmo que fosse pão, dado grassar a fome pela cidade. E as pessoas pediam: "Pão por Deus".
Esta tradição perpetuou-se no tempo, sendo sempre comemorada neste dia e tendo-se propagado gradualmente a todo o país.
Até meados do séc. XX, o "Pão-por-Deus" era uma comemoração que minorava as necessidades básicas das pessoas mais pobres (principalmente na região de Lisboa). Noutras zonas do país, foram surgindo variações na forma e no nome da comemoração. A designação indicada acima (Dia dos Bolinhos) em Lisboa nunca foi utilizada, nem era sequer conhecido este nome.
Nas décadas de 60 e 70 do séc. XX, a data passou a ser comemorada, mais de forma lúdica, do que pelas razões que criaram a tradição e havia regras básicas, que eram escrupulosamente cumpridas:
§  Só podiam pedir o "Pão-por-Deus", crianças até aos 10 anos de idade (com idades superiores as pessoas recusavam-se a dar).
§  As crianças só podiam andar na rua a pedir o "Pão-por-Deus" até ao meio-dia (depois do meio-dia, se alguma criança batesse a uma porta, levava um "raspanete", do adulto que abrisse a porta).
A partir dos anos 80 a tradição foi gradualmente desaparecendo e, actualmente, raras são as pessoas que se lembram desta tradição.
Até a comunicação social, contribui para o empobrecimento da memória coletiva. Neste dia todas as estações de TV, Rádio e jornais, falam no Halloween, ignorando completamente o "Pão-por-Deus".
 Também na região de Alenquer se tem esta tradição, e nós aqui na nossa escola costumamos fazer sempre o saquinho do "Pão por Deus", para levarmos para casa e do Dia de Todos os Santos, irmos "pedir" o "Pão por Deus". É divertido, desenvolve na criança a linguagem, promove a sua desinibição e, sobretudo, não faz mal a ninguém!! 
No dia 2 de Novembro fazemos o nosso lanche de Outono, com os frutos, doces (e algum bolo que os pais queiram mandar),com as coisas que estão na nossa montra de Outono.


2 comentários:

Margarida Noronha disse...

Muito obrigada! Andei à procura da tradição e agradeço a todos, crianças e adultos, a oportunidade que me deram de recordar e de poder "roubar" explicações e imagens :)

Manuel Peralta Godinho e Cunha disse...

Gostei.
Excelente texto que deveria ser mais divulgado.
Na realidade as nossas tradições, a nossa cultura vai sendo esquecida e substituída pelo Pai Natal, Halloween e outros mais, com o apoio da comunicação falada, escrita e televisionada.
Uma apetência para a importação de ideias tristes e com as que não nos identificamos em nada…